Hiroshima e Nagasaki, calamidade infernal

Um passado macabro da humanidade. Livro O último trem de Hiroshima, para que ninguém jamais morra dessa maneira outra vez.

O Último Trem de Hiroshima. Frete grátis em Presidente Prudente.

R$25,00. Compre agora

Esse livro conta a história real dos extremos aos quais a espécie humana é capaz de chegar em termos de horror e crueldades. O leitor conhecerá detalhadamente toda a força atroz dos eventos que devastaram o Japão durante a 2ª Guerra Mundial.

Numa combinação de pesquisas arqueológicas – muitas delas ainda inéditas – com relatos de partir o coração, o livro retrata os dois dias trágicos de bombardeios nucleares em Hiroshima e Nagasaki, exatamente como ocorreram e por que ocorreram.

Os detalhes das estratégias politicas e militares que levaram à explosão das bombas, numa leitura comovente com testemunhos de pessoas que sobreviveram a esses tristes acontecimentos.
Algumas delas resistiram incrivelmente aos dois ataques e foram denominadas de “Duplos Sobreviventes”.

Fugindo de uma Hiroshima destroçada, elas partiram para Nagasaki embarcando no Último trem de Hiroshima, na estação de Koi, sem imaginar que rumavam em direção a mais um destino funesto de suas vidas, o local da segunda explosão atômica.

O último trem de Hiroshima: Os sobreviventes olham para trás.

Livro usado em bom estado.
Tradução: Angélica Freitas.
São Paulo: Leya. Ano 2010. 432 págs.

Frete grátis em Presidente Prudente/SP

R$25,00

Adquira agora esse livro


São relatos impressionantes e desesperadores de quem, mesmo tendo conseguido escapar milagrosamente de duas bombas, ficou com terríveis sequelas para o resto de seus dias.

Um verdadeiro protesto contra o uso desnecessário dessas armas que transformam homens em bestas.

A obra mostra sem nenhum pudor toda a tragédia de destruição, das mortes, dos ferimentos e das doenças causadas pelas bombas. Cada momento das explosões também é descrito e explicado, como o clarão, as cores das luzes vistas pelas vítimas, o estrondo, a emissão de radiação, a chuva negra, os redemoinhos e as espirais de fogo.

Além disso, o livro narra ainda toda a parte concernente à equipe que ficou responsável por jogar as bombas, os pilotos, engenheiros e cientistas que estiveram a bordo dos aviões.

Da preparação das bombas para o seu lançamento, incluindo também o que as famílias e as pessoas faziam nos instantes antes da detonação, até as suas consequências nefastas e o impacto causado em corpos e objetos: o choque, o pesar, o desolamento e a dor de sobreviventes que presenciaram seus afetos serem pulverizados diante de seus olhos.

O último trem de Hiroshima, livro que todos devem ler.

Tudo aconteceu no fatídico 6 de agosto de 1945, dia em que três aeronaves das Forças Armadas dos EUA sobrevoavam a cidade de Hiroshima, numa linda manhã de céu limpo e azul.

A primeira era a Enola Gay que transportava a bomba, a segunda, a The Great Artist,  incumbida de gravar e vigiar a missão, e a última era a Necessary Evil, encarregada de fotografar e filmar a explosão.

Foi assim que, às 8:15h, a Enola Gay soltou a primeira bomba atômica que explodiu a cerca de 600 m do solo, na parte central da cidade de Hiroshima.

Quem estava no local denominado de epicentro da bomba foi instantaneamente desintegrado, sem tempo de esboçar sequer um mínimo de reação. Desses corpos sobrou apenas o pó, que ficou impresso nas paredes próximas.
Já aqueles que se encontravam mais distantes do centro, e conseguiram sobreviver ao terror impiedoso, tiveram suas peles rasgadas e desprendidas dos corpos, que ficaram desfigurados com queimaduras e membros arrancados como, por exemplo, pés que foram violentamente separados da tíbia.

Mais mortos que vivos, nesse dia, tais pessoas se transformaram em zumbis sem saber para onde ir, verdadeiros monstros vítimas da insanidade de “ilustres” dirigentes tomados pelo poder da destruição.
Quem não morreu no momento da detonação ou nas primeiras horas seguintes acabou sendo contaminado pela “Doença X”, adquirida pela radiação atômica. A maior parte dos sobreviventes veio a falecer em decorrência de câncer.

O fato é que as bombas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki mataram, na sua imensa maioria, civis, idosos, mulheres e crianças, enfim, gente que não era combatente de guerra.

Elas fissuraram corpos, mentes, corações e relacionamentos. Muitas pessoas simplesmente enlouqueceram. Os poucos que conseguiram chegar na velhice puderam contar a sua história nesse livro, mostrando ao mundo que a bomba atômica é a pior das desumanidades impostas aos seres vivos.

Autor de O Último Trem de Hiroshima

Charles Pellegrino

A obra é do escritor americano, nascido em Nova York, Charles Pellegrino. Professor PhD, ele é conhecido por seus trabalhos em etmologia, antropologia forense, paleontologia e projetos avançados para foguetes, astrobiologia e arqueologia marinha.

Pellegrino é autor renomado de vários best-sellers internacionais. Entre eles está Titanic, que serviu de fonte para a produção e realização do filme com o mesmo nome, considerado uma das maiores bilheterias do cinema de todos os tempos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *